A EcoQuality Construções e Meio Ambiente atua na área de consultoria e assessoria ambiental em diferentes segmentos: Industrial, Agronegócio, Construção Civil e Mineração, com uma equipe multidisciplinar  orientada a auxiliar o cliente quanto a melhoria de seus processos com um controle operacional focado na redução de custos, de acordo com a legislação ambiental.

linha-bg-

Licenciamento, Estudo e Projetos Ambientais

A EcoQuality realiza os estudos ambientais solicitados durante o processo de licenciamento ambiental. O licenciamento ambiental é uma exigência legal a que estão sujeitos todos os empreendimentos ou atividades que empregam recursos naturais ou que possam causar algum tipo de poluição ou degradação ao meio ambiente.
É um procedimento administrativo pelo qual é autorizada a localização, instalação, ampliação e operação destes empreendimentos e/ou atividades.Para obter esse licenciamento, são feitos os serviços de análises, pareceres, relatórios e planos com o objetivo de demonstrar a viabilidade ambiental do empreendimento ou atividade a ser instalada.

Gerenciamento de Resíduos Sólidos

Gerenciamento de resíduos sólidos constitui um conjunto de procedimentos de gestão, planejados e implementados com o objetivo de minimizar a produção de resíduos e proporcionar aos resíduos gerados, a adequada coleta, armazenamento, tratamento, transporte e destino final adequado, visando a preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.
De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010), a gestão de resíduos deve garantir o máximo reaproveitamento e reciclagem e a minimização dos rejeitos – que não possuem viabilidade técnica e econômica para reciclagem. Cada gerador é responsável pelos resíduos gerados, que devem ser segregados na fonte.

Destinação de Resíduos Classe I e Classe II

A periculosidade de um resíduo é classificada em função de suas propriedades físicas, químicas ou infectocontagiosas, podendo apresentar risco à saúde pública e ao meio ambiente, quando o resíduo é manuseado ou destinado de forma inadequada. A norma NBR 10.004, divide os resíduos sólidos industriais em duas classes I e II, como perigosos, não inertes e inertes.

Resíduos de Classe I – Perigosos
São resíduos que em função de suas propriedades físico-químicas e infectocontagiosas podem apresentar risco à saúde pública e ao meio ambiente. Os resíduos perigosos pedem mais atenção do gerador, já que os acidentes mais graves e de maior impacto ambiental são causados por esta classe de resíduos. Esses resíduos podem ser condicionados, armazenados temporariamente, incinerados, tratados ou dispostos em aterros sanitários próprios para receber resíduos perigosos.

Apresentam pelo menos uma das seguintes características: inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade. Podemos citar como exemplos dessa classe de resíduos: borra de tinta, latas de tinta, óleos minerais e lubrificantes, resíduos com thinner, serragem contaminadas com óleo, graxas ou produtos químicos, EPI’s contaminadas (luvas e botas de couro), resíduos de sais provenientes de tratamento térmico de metais, estopas, borra de chumbo, lodo da rampa de lavagem, lona de freio, filtro de ar, pastilhas de freio, lodo gerado no corte, filtros de óleo, papéis e plásticos contaminados com graxa/óleo e varreduras.

Resíduos de Classe II – Não Inertes e Inertes
Divididos em A e B, são aqueles que não se enquadram na classificação de resíduos Classe I. Podem apresentar uma das propriedades: combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade em água.

Gestão Ambiental

Gestão ambiental é o campo de estudo da administração do exercício de atividades econômicas e sociais de forma a utilizar de maneira racional os recursos naturais, incluindo fontes de energia, renováveis ou não.

PGRS – Planos de Gerenciamento de Resíduos

O Plano de Gerenciamento de Resíduos é um documento técnico que identifica a tipologia e a quantidade de geração de cada tipo de resíduos e indica as formas ambientalmente corretas para o manejo, nas etapas de geração, acondicionamento, transporte, transbordo, tratamento, reciclagem, destinação e disposição final.

PRAD – Programa de Recuperação de Áreas Degradadas

Um Plano de Recuperação de Área Degradada deve, apresentar o conjunto de métodos, instruções e materiais necessário para o retorno do sítio degradado a uma determinada forma de uso do solo visando à utilização, de acordo com o plano preestabelecido para o uso ou capacidade produtiva dos recursos ambientais.

A reabilitação de um local define-se por um conjunto de procedimentos que propiciam o retorno da atividade produtiva visando a um uso futuro, considerando as aptidões do local, a intenção de uso as condições do meio físico e biótico (NBR ABNT 13.030:1999).

Programa de Educação Ambiental

De acordo com a Política Nacional de Educação Ambiental (Lei nº 9.795/1999), educação ambiental consiste em processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, qualidade de vida e sustentabilidade.

Cabe às empresas, entidades de classe, instituições públicas e privadas, promover programas de educação ambiental para trabalhadores, visando ao controle e melhoria do ambiente de trabalho e dos processos produtivos que impactam o meio ambiente (Lei nº 9.795/1999).

A EcoQuality possui equipe especializada e multidisciplinar capacitada para elaborar, planejar e executar planos, projetos e programas de educação ambiental.

Estudo e Relatório de Passivo Ambiental

A Ecoquality possui equipe especializada e multidisciplinar capaz de avaliar indícios de passivo ambiental e gerenciar todas as providencias relativas a coletas e análises laboratoriais.

Tratamento de Água e Efluentes

A água pode ser usada pela indústria de diversas maneiras: na incorporação ao produto, lavagens de máquinas, tubulações e pisos, nos sistemas de resfriamento e geradores de vapor, no próprio processo industrial e nos vasos sanitários.

A água não necessita de tratamento final somente quando é incorporada aos produtos ou evaporada. Nos demais casos, os efluentes líquidos industriais ou água residuária precisam ser tratados, uma vez que são contaminados com resíduos dos processos produtivos.

O tratamento de efluentes industriais ideal é indicado de acordo com a carga poluidora e presença de contaminantes. Apenas especialistas podem avaliar e realizar a coleta de amostras para análise de diversos parâmetros que representam a carga orgânica e a carga tóxica dos efluentes.

Remediação de Solos

A remediação de solos contaminados representa um dos maiores desafios na área ambiental, não apenas em função da usual complexidade das matrizes de solo, mas principalmente em razão da complexa dinâmica dos poluentes nos ambientes contaminados.

Em razão desta complexidade e da elevada frequência com que episódios de contaminação do solo são verificados, muitas tecnologias de tratamento têm sido propostas nas últimas décadas, incluindo alternativas simples de tratamento in-situ, como sistemas fundamentados em atenuação natural e sistemas onerosos e complexos fundamentados em processos ex-situ, como tratamento térmico em plasma.